quarta-feira, 15 de abril de 2009

Música sempre

Deixei de postar muita coisa sobre música nesse período de ausência. Um pouco para me preservar, outro pouco porque este não é exatamente um blog noticioso. Costuma ser um blog de análise, mas eventualmente é um blog particular como outro qualquer. Como diz o meu amigo Relivaldo, nada é gratuito, mesmo o que parece particular aqui é de interesse público. Vou recuperar algumas análises e noticiar alguns fatos importantes.
Para começar com algo bom, vale dizer que o Pará está bem representando no projeto Conexão Vivo, com a banda Madame Saatan e os brasilienses do Soatá. Quem conhece sabe que o Soatá teve origem no Epadu, uma banda paraense da pesadíssima que teve Cláudio Figueredo (ex-Tribo) nos vocais ao lado do compositor e guitarrista Jonas Santos. Foi Jonas que sugeriu o nome do Norman Bates ao vocalista Carlos Bremgartner, quando este ainda estava formando a banda. Há alguns ano em Brasília, Jonas Santos retomou o projeto com a cantora Ellen Oléria e músicos braziliense da pesada. A banda ganhou um swing black mas não perdeu o espírito do carimbó e do rock amazônico que surgiu em Belém (com o Epadu) ao mesmo tempo em que surgia em Recife a Nação Zumbi.

7 comentários:

Michelly Murchio disse...

Bons os velhos tempos, os de rock de verdade em Belém do Pará e Icoaraci. Como diz o poeta Drummond: Mas as coisas findas, muito mais que lindas, essas ficarão!
E ficaram para sempre né?

Nicolau Amador disse...

ficam, Michelly. aguardo a proxima oportunidade de te ver cantando aqui na cidade. mesmo que demore.
obrigado pela visita e grande abraço.

Sam disse...

Assim que gosto de ti, escrevendo.:) Valeu a força de sempre meu amigo.beijos

Nicolau Amador disse...

Obrigado, Sam, linda.
Vc é sempre bem vinda e sempre vai ser prestigiada onde eu estiver.
Grande abs.

riti disse...

=]

O melhor desse projeto é que ele nos leva à pessoas maravilhosas!!!

E vc fica ótimo escrevendo...mesmo!

haha

Bjoooo

Soatá.(lud)

RUI PAIVA disse...

Bacana o seu blog, Nicola glicosado, e melhor, você voltando a escrever e noticiando o que acontece nas outras bandas do Brasil.
Vai mandando informes sobre o mundo independente que está com uma chance muito boa de acontecer e fazer uma pequena ferida diante do sistema econômico que ainda dita as regras do mercado da música brasileira.
Força, saúde e paz!

Nicolau Amador disse...

Valeu, Ruizinho,
obrigado pela motivação.
grande abraço e volte sempre.
abs.