quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Punk Velho Reloaded

Especial Giovani Villacorta relembrando classicos punks locais vai ao ar sábado

O guitarrista, vocalista e compositor punk Giovani Villacorta, atualmente no Norman Bates, recebe uma justa homenagem de Beto Fares e seu Balanço do Rock (No Twitter: @balancodorock). Giovani, que começou em 1988, na banda Ódio do Poder, depois integrou uma das formações mais consistentes da clássica Baby Loyds. Com Regi Cavalcante na bateria e Giovani nos vocais, o Baby Loyds fez apresentações matadoras nas duas primeiras edições do Rock 24 horas. Giovani ajudou a formatar o som do Norman Bates e representa a vertente mais clássica do punk rock paraense, aquela que evoca Coléra, Inocentes e Mercenárias além dos nomes mais obscuros da cena paulista.

A homenagem consiste em uma apresentação ao vivo no estúdio Edgar Proença, da Radio Cultura FM, com uma banda base que reúne algumas feras do novo rock paraense e de gerações anteriores, como João (Sincera), Camillo Royale (Turbo, Eletrola), Eric Alvarenga (Aeroplano), Marreta (Ovo Goro) Jayme Katarro (Deliquentes) Sandro-K (Baby Loyds)e Claudio Figueiredo (Tribo). Ao final, a Norman Bates deve apresentar três ou quatro músicas. No repertório, "crássicos" como "Beirute Está Morta" (Insolencia Publika), "Almirante Bras" (Tribo), "Embriagados na Caverna" (Baby Loyds) e "Sampa Apodrecendo" (Norman Bates).



O convite de Beto Fares provocou um redrucescimento do punk clássico dos anos 80, que coincide com a vinda da banda Cólera a Belém. Depois de 30 anos, pela primeira vez a banda paulista chega por aqui no dia 19 de março, no Açaí Biruta, com abertura das bandas Delinquentes, Likor de Xorume e Nó Cego, clássicas bandas que fazem parte da história do punk em Belém, algo tão forte quando a tradição do heavy metal.

Banda paulista Coléra toca em Belém pela primeira vez no dia 19 de março

A produção é da Xaninhos Discos (No twitter: @xaninhodiscos) com patrocínio do Curso Exemplo, da loja For Fun Street Shop e apoio da Pro Rock, Música Paraense e Fabrika Studio, entre outros apoiadores. Káká, produtor do show, tocou na banda Derci Gonçalves e representa bem um novo momento da cena hardcore em Belém. Um momento para apresentar novamente as armas deste movimento cultural que vira e mexe se agita com mais força.

Um comentário:

gi disse...

vai ser muito foda, não tenho duvida. a rapazeada mais nova que vai faezr a banda base tá muito empolgada, assim como os convidados punks de longa data. e antes de ir, tenho que dizer: só o nicolau p usar uma palavra como "redrucescimento" num post sobre rock.

bj