quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Artistas e a esmola social


Larissa foi vestida para dançar mas as atrações eram os músicos


No último dia 9 de outubro, artistas da Associação Pro Rock e movimento Bafafá do Pará se apresentaram na Semana Luamim, do programa homônimo desenvolvido por professores e alunos do curso de Serviço Social da UFPA. Suzana Flag, Rafael Arke (Pianuts), Rand Frank, Paulo Luamim (que tirou seu nome artístico do programa), Augusto Hijo e outros artistas tocaram no hall da reitoria. A programação também teve Mestre Fabico, que levou o seu boi "Flor de Todo Ano".
Na ocasição, os artistas e os produtores da Dançum Se Rasgum fizeram a doação de quase 500 quilos de alimentos arrecadados na terceira noite do festival Se Rasgum desse ano.
Mesmo fazendo parte do Grupo Facilitador do Fórum Social Mundial em Belém, o grupo foi proibido de veicular a ação ao FSM. Para o Comite Internacional do FSM, doar alimentos é como "dar esmolar no semáforo". O Comitê Internacional também barrou um manifesto que aconteceria na Avenida Presidente Vargas logo após a Trasladação da imagem da Virgem de Nazaré. Para o CI, não era interessante questionar ou "atritar" umas das maiores festas religiosas do País, quando o FSM quer ganhar a adesão da população paraense.
O Luamim atende crianças e jovens dos bairros do Guamá e Terra-Firme, como Larissa dos Reis, de 9 anos, que tem aulas de balé pelo programa. Mestre Fabico não reclamou e levou as "esmolas" para casa.
E o Cirial, programação do Núcleo de Produção Cultural de Belém, também ligado ao Fórum Paraense de Música Independente, juntou milhares de excluídos ao lado de uma das festas profanas mais populares da quadra nazarena, a Festa da Chiquita.

3 comentários:

Tânia disse...

Nossa, doidera essas histórias, não é?
Doação de alimentos é igual esmola em semáforo? Beleza então! Achei que a história de dar esmola tinha relação com exploração de menores, criança na rua ao invés de na escola. Mas alimento para manter entidades? Então tá, né!

Eu acabei de ver o Profissão repórter na internet. Podem dizer o que quiserem, mas eu me emociono e choro com esse povo e me arrepio de pensar na berlinda passando...

Lá tinha o comentário de uma pessoa dizendo que as autoridades deveriam acabar com "aquilo" tudo. Só mesmo quem nunca foi ao Círio de Nazaré pra dizer algo assim. Realize a cena de algum governante tentando acabar com a procissão?

Ainda acontece a festa da Chiquita? :) :)
Certamente não deve ser mais a mesma coisa, :). Nossa, saudade, saudade, saudade! Comi maniçoba, me acabei!

Beijos e beijos em casa.

Helaine Martins disse...

gente, eu tô passada!

Jéssica disse...

"Para o Comite Internacional do FSM, doar alimentos é como 'dar esmolar no semáforo'."
Adoro quando as farsas se revelam, mesmo que aos poucos.