sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Caiu na rede...

O ano já começou e a blogosfera deve ser um espaço importante mais uma vez para as definições eleitorais no Pará, bem como no Brasil todo, principalmente depois de permitida a propaganda pela rede. O saudoso Juvêncio Arruda deixou um legado que não pode ser preenchido, ao mesmo tempo que foi parte fundamental da consolidação deste pedaço de esfera pública. Seria muito bom se ele pudesse ter visto a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, o deputado federal Jader Barbalho e muitos outros políticos chegando à rede através do Twitter e de blogs.
Há uma semana na blogosfera, o chefe da Casa Civil, Cláudio Puty, um dos últimos homens públicos do Pará a cair na rede, deu entrevista recente ao Observatório Eleitoral e tem sido alvo das polêmicas eleitorais mais prematuras.
Puty é um dos articuladores da criação e consolidação do projeto Pará Pro Música. Fez seu papel como Chefe da Casa Civil quando foi provocado pela articulação ainda incipiente da classe artística: mobilizou a máquina do Estado para um projeto estratégico que surgiu como demanda da sociedade civil organizada. É bom vê-lo se aproximar dos internautas e saber que tanto políticos quanto artistas estão chegando a um nível razoável de participação digital.
Dessa forma, Puty vai poder conhecer melhor o movimento que a música e as artes em geral estão mobilizando na rede e os atores desses segmentos podem saber como pensa o homem forte do governo. Uma aproximação necessária para consolidar a área cultural como um instrumento de desenvolvimento social importante para o Estado.
Há uma mudança em curso, sem dúvida. Acredito numa participação democrática evoluída, tão necessária para a nossa civilização, por assim dizer. A blogosfera pode ajudar a promover parte importante desse processo de participação.
O SEBRAE-PA apresenta o resultado do diagnóstico da música paraense na próxima segunda-feira, às 14h30, no auditório da sua sede na Municipalidade. É o início oficial do Pará Pro Música que deve ter a participação dos coletivos de música, artistas e produtores, além da parceria com outros órgãos de governo, para atingir suas metas.

2 comentários:

Diógenes Brandão disse...

Pelo que percebi na postagem, te verei de Julho à Outubro vestindo red...

Nicolau Amador disse...

não preciso declarar meu voto Jimmi. Minha posição é clara. Acho que assim sou mais honesto com os leitores que não necessariamente precisam concordar com a minha visão das coisas.
abs.